Espadeiros São João 2019 – Só há vida, vivendo a Tradição

71
André Marcelo – Designer Gráfico

A campanha tem como objetivo alertar e conscientizar a população sobre a violação de direitos, MP criminaliza a prática de soltar espadas no período dos festejos juninos.

Sendo que julgar o artefato como uma arma e incluir no Estatuto do Desarmamento no mínimo é um desrespeito com a cultura popular, onde no município de Senhor do Bonfim-Ba é Patrimônio Cultural Imaterial que o próprio título diz:

são práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas transmitidos de geração em geração e constantemente recriados pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, de sua interação com a natureza e de sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo assim para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.

Segundo o MP, a guerra de espadas eleva os gastos com a saúde pública, sendo que em toda a Bahia foram 75 queimados por fogos de artifício em 2018, como que ELEVA os gastos? Os gastos com o Carnaval de Salvador-BA para o governo são maiores, com vários feridos por agressões, mortes e outros muitos fatos que acontecem nesse período.

Nunca na história vai existir São João sem fogos de artifícios, fogueira (de São João, das moças, de São Pedro), Licor, quadrilhas, e outros tantos elementos que compõem esse movimento popular muito querido por todos, uma manifestação familiar apoiada por mais de 90% da população nos lugares onde a tradição tenta resistir aos que não conhecem a cultura em questão.

Vamos respeitar os espadeiros que só querem brincar e confraternizar com amigos, familiares e turistas.

TRADIÇÃO NÃO É CRIME, UMA LUTA DE TODOS OS ESPADEIROS DA BAHIA!

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA