Aluno de judô com Síndrome de Down é destaque em BCS

Mateus Gonçalves Santana, 9 anos, é aluno da Base Comunitária de Segurança do Calabar. As aulas têm melhorado as questões físicas e psicológicas do garoto.

14
Fotos: Alberto Maraux

Atleta de judô, torcedor do Bahia, e especial, não só por ser portador da Síndrome de Down, mas porque Mateus Gonçalves Santana, 9 anos, encanta e ensina a todos na Base Comunitária de Segurança (BCS/Calabar) com o seu carisma. O aluno, que é faixa azul ponteira amarela, possui cinco medalhas, faz parte dos treinamentos da arte marcial há quase cinco anos e vem desenvolvendo habilidades para lidar com a deficiência e melhorando a cada dia seu desempenho na sua rotina.

Ele precisa de atividade física e eu acabei conhecendo um dos policiais que trabalha aqui. Na BCS a gente encontrou dedicação, carinho, cuidado, por isso saio de São Caetano todas as terças e quinta para trazê-lo. Me sinto confiante e acolhida”, contou Girlian Gonçalves da Silva, 54 anos, mãe de Mateus.

Mateus participa das aulas de judô há quase cinco anos e agora iniciou a oficina de violão. “Aqui ele ganhou disciplina, melhorou muito a coordenação motora, obediência e a relação com os colegas. Observo que a rotina mudou muito em casa e na escola, após as cobranças dos professores na BCS”, explicou Girlian, lembrando que na unidade da PM todos são tratados iguais, com total atenção. “Me preocupo com a discriminação por conta da condição dele e juntos combatemos isso todos os dias”, disse a dona de casa.

A mãe também gosta de estar presente em todos os treinos. “Hoje ele já sabe cair até por conta das aulas ele não se machuca mais com tanta frequência. Teve um campeonato de Judô que cerca de 700 pessoas pararam para aplaudir ele por ser o único atleta da competição com uma necessidade especial. Fiquei bastante emocionada”, concluiu Girlian.

Evolução

Fotos: Alberto Maraux

Para o soldado e professor de Judô da BCS, sensei Kleber Reis, a deficiência não prejudica em nada o andamento da turma. “A gente trabalha sempre em cima da limitação dele, adaptando as atividades, promovendo a interação em grupo e a lidar com derrotas e vitórias. Com essas ações ele consegue aprender com os outros”, contou, lembrando ainda que Mateus se tornou torcedor do Bahia por sua conta.

Mateus interage totalmente com a turma. “No começo as outras crianças ficaram sem entender muito porque não tinha noção da particularidade dele. Mas depois eles foram compreendendo e agora estão bem entrosados. Com a convivência construíram uma amizade que ultrapassa os muros da Base”, ressaltou o professor.

O militar disse ainda que o judoca mirim participa de campeonatos e também é avaliado em exames de ascensão de faixa de igual para igual. “Mateus quando chegou na minha aula tinha diversas limitações e hoje a gente vê a evolução, principalmente nas bases de quedas, respeito com o colega e disciplina na escola. Tudo evoluiu. Me sinto realizado por tudo que ele vem aprendendo e pelo carinho que nos retribui”, afirmou reis.

Para a comandante da BCS, capitã Aline Muniz, ter Mateus na BCS, é motivo de orgulho. “Mateus sempre apresentou esse jeito especial, carinhoso, adora beijo e abraço. É um exemplo para as demais crianças. Muito bom a Base ter Mateus como nosso campeão”, finalizou a oficial. 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA