Coronavírus acende alerta sobre realização do São João nas principais cidades do interior da Bahia

357

Os casos confirmados de coronavírus na Bahia acenderam um alerta em relação à realização das festas juninas nas cidades do interior do Estado. Até a manhã desta quarta-feira (18), a Secretaria da Saúde (Sesab) registrou 18 casos da doença: nove em Salvador; cinco em Feira de Santana; três em Porto Seguro; um em Prado. Diante da pandemia, o governador Rui Costa (PT) determinou a suspensão de eventos para evitar a aglomeração de pessoas, e consequentemente, a transmissão do vírus.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas Boas, a tendência é de que o número de casos da doença aumente nos próximos dias. Faltando pouco mais de três meses para o São João, as prefeituras das principais cidades baianas que realizam a festividade, estão alertas diante da situação. Apesar de manterem o planejamento da festa, as gestões municipais não descartam uma possível suspensão se for necessário.

Ao Bocão News, o vice-prefeito de Cruz das Almas, Max Passos (PP), contou que a prefeitura está avaliando o avanço da quantidade de casos do Covid-19 no estado. Ainda segundo o político, que também é coordenador-geral do São João do município, uma reunião com todas as secretarias municipais foi realizada na última segunda (16).

“Estamos aguardando um posicionamento do governo do Estado para saber qual será o procedimento em relação às festas juninas. Apesar disso, estamos planejando o São João normalmente, mas sabendo que a qualquer momento ele pode ser cancelado devido a esse surto que está assolando o mundo inteiro”, explicou.

Considerada a capital do forró na Bahia, a cidade de Senhor do Bonfim, localizada no norte do estado, também está com a festa junina confirmada até o momento. Mas, para o prefeito Carlos Brasileiro (PT), ainda é “precoce” falar sobre a realização ou não do evento. “Quem vai nos responder isso são os acontecimentos daqui pra frente. Claro que se tivermos casos confirmados ou número elevado de suspeitos em Senhor do Bonfim ou região, nós temos que em primeiro lugar preservar a vida das pessoas”, afirmou o gestor que disse ainda estar atento ao cenário da doença.

“Espero que não chegue a esse estágio, mas se chegar, nós vamos junto com as autoridades superiores atender as orientações. São João tem todos os anos e a vida da gente é o maior patrimônio que se tem e devemos ter cuidado. Por enquanto, não discutimos a possibilidade de suspensão, porém estamos atentos a toda situação. Mas se houver a necessidade de suspensão, assim faremos”, completou.

Sobre as medidas já adotadas pela prefeitura, Carlos explicou que já foram adquiridos materiais de prevenção, além da capacitação da equipe de governo. “Estamos nos preparando para que caso venha a acontecer, a gente está preparado para atender a sociedade como deve segundo as orientações”.

O futuro do São João de Amargosa, cidade situada a cerca de 240 km de Salvador, será decidido em reunião com a equipe do governo municipal. No entanto, por meio da assessoria de comunicação, a prefeitura sob o comando de Júlio Pinheiro (PT), informou que a festa está mantida até então.

“A gente acredita que seguindo as orientações que estão sendo feitas pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Saúde do Estado, a gente vá conseguir conter essa curva de contaminação entre as pessoas. Ainda não temos um retorno em relação ao São João. Ainda não discutimos essas questões até o momento. Vamos começar as nossas reuniões com a equipe do secretariado para falar sobre o São João nessa semana ou na próxima, mas não temos uma decisão ainda. Esperamos que até junho a gente consiga ter o controle da situação para que a gente possa realizar o evento”.

Ainda conforme a assessoria da prefeitura, algumas medidas como o cancelamento de eventos que tenham ligação com órgãos estaduais e federais para evitar deslocamento dos participantes já foram adotadas pela gestão.

Já Rogério Andrade (PSD), prefeito de Santo Antônio de Jesus, informou que o município localizado no Recôncavo da Bahia está se preparando normalmente para a realização da festa. Apesar disso, ele não descarta o cancelamento caso a situação de agrave.

“Estamos trabalhando na direção de realizar o São João, dando os passos para que aconteça, porém não descartamos o cancelamento a depender da evolução da crise. Se as coisas evoluírem, se existir uma recomendação do próprio secretário de Saúde do Estado, alguma recomendação do Ministério Público ou da Procuradoria Geral, não existe outro a caminho a não ser cancelar o evento”, explica o gestor que já determinou algumas medidas de prevenção na cidade.

“Suspendemos a entrega de obras públicas com aglomeração de pessoas. Em acordo com os empresários do ramo de música, suspendemos festas grandes na cidade. Suspendemos também o baile da melhor idade que acontece uma vez por semana e estamos preparando um decreto com outras medidas que pode ser publicado a qualquer momento”, ressalta.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA